DOTA 2 E-SPORTS NEWS

Equipe de Dota 2 da PaiN Gaming bate um papo com a gente e manda recado para a torcida brasileira!

Quem joga Dota 2 sabe que não se trata de um game lançado recentemente. Os servidores do famoso MOBA da Valve estão no ar desde 2011, ano marcado também pela primeira edição do The International, o maior campeonato de eSports do mundo em termos de premiação. Desde então o game despertou a paixão de milhares de brasileiros, que no decorrer dos anos tiveram de aprender a vibrar e torcer para equipes de outros continentes durante os grandes torneios do cenário internacional. Muito pela falta de competitividade do Dota Sulamericano, mas também pela falta de oportunidades (vagas) para equipes da região, que eram obrigadas a disputar vagas para torneios com times da América da Norte (cenário já consolidado).

Mas felizmente para nós essa realidade foi mudando aos poucos, sobretudo nos últimos anos. E agora, em 2018, finalmente temos um representante no The International para  chamar de nosso com muito orgulho: a PaiN Gaming! Com vitórias expressivas pra cima de grandes equipes como Mineski, Fnatic e até mesmo a atual campeã Team Liquid, a PaiN ajudou a colocar o cenário Sulamericano nos holofotes do mundo e mostrou que nossa região tem condições de disputar grandes competições. A afirmação do ótimo momento da equipe veio exatamente com a conquista recente da vaga para a disputa do TI 2018.

E para chegar com tudo no mundial desse ano, que será realizado pela primeira vez em Vancouver (Canadá) e terá início já no dia 15 deste mês, nossos rapazes da PaiN estão nos Estados Unidos desde meados de julho treinando com muita força. Mas mesmo assim toparam dar uma pausa nos treinamentos para responder algumas perguntas elaboradas pela equipe da Paradoxal News, que você pode conferir abaixo.

Paradoxal News: Muito tem se falado sobre o nível do Dota Sulamericano, de uma forma geral, não ser um bom parâmetro de treinamento para a disputa de competições de alto nível. O que vocês pensam sobre essa afirmação?

PaiN Gaming: Concordamos em parte. Apesar de não ter times tão fortes quanto os Tier 1 mundiais, o Dota SA tem uma forma particular de jogar que é bem forte. Apesar disso, para nos preparar bem para campeonatos, é sempre importante jogar bastante com times de fora para entender o meta mundial.

Paradoxal News: Pegando o gancho da primeira pergunta, também gostaríamos de saber se sentiram muita diferença no nível de jogo durante esse tempo de treinamento para o “The International” na América do Norte em relação ao nível dos nossos servidores.

PaiN Gaming: Sim. Tem bastante diferença considerando que os times que vão ao TI estão muito mais focados e preparados do que os times SA que atualmente estão sem campeonatos para disputar.

Paradoxal News: A PaiN mostrou muita força nas últimas competições disputadas e conseguiu boas vitórias sobre grandes equipes do cenário internacional. Sendo assim, vocês estabeleceram alguma meta para o TI? Até onde acreditam que a equipe pode chegar?

PaiN Gaming: Queremos ir bem e estamos nos preparando ao máximo, mas sabemos que todos os times que vão ao TI são excepcionalmente bons. Por conta disso, preferimos não criar expectativas e somente focar em jogar um jogo de cada vez. Mesmo assim, sabemos que temos o potencial para atingir grandes coisas.

Paradoxal News: O romeno “w33” se juntou à PaiN em abril deste ano e chegou a dizer em entrevista que tinha um pouco de dificuldade para se comunicar com o restante da equipe, o que é natural pelas diferenças culturais e linguísticas. Mas de fora vemos sempre vocês fazendo brincadeiras com ele e um clima de muita descontração entre todos. Pode-se dizer que essa dificuldade na comunicação já foi superada e que o “gringo” está totalmente integrado à equipe?

PaiN Gaming: Sempre vai ter problema de comunicação porque temos mais facilidade de nos comunicar em português, mas com certeza tivemos um grande avanço quanto a isso. Durante o jogo ele tem entendido bem o que queremos e tem facilitado bastante nesse quesito.

Paradoxal News: Recentemente a PaiN contratou “Misery”, outro grande jogador estrangeiro, para atuar como técnico da equipe. Já é possível observar um dedo do experiente dinamarquês no jogo da PaiN de uma forma geral? De que forma “Misery” tem contribuído desde sua chegada?

PaiN Gaming: Com certeza o Misery chegou para adicionar ao time. Ele tem muita bagagem e tem nos ajudado muito a observar coisas que somente alguém que está assistindo o jogo consegue. Ao mesmo tempo, ele tem insights muito importantes sobre jogos e estratégias que contribuem ao crescimento do nosso time.

Paradoxal News: A torcida brasileira está muito empolgada por ter pela primeira vez um representante no mundial de Dota 2 e a promessa é de muito apoio para todos vocês. Gostariam de deixar um recado para essa galera?

PaiN Gaming: Venham torcer e apoiar o Dota SA. O incentivo de cada torcedor nos ajuda e impulsiona a querer melhores resultados para trazer orgulho para o nosso dotinha.



Curta a página da Paradoxal News no Facebook: Paradoxal News


Inscreva-se para receber nossa newsletter e fique por dentro de tudo que rola no universo gamer.



Anúncios