E-SPORTS NEWS LEAGUE OF LEGENDS PC GAMES

O fracasso brasileiro de League of Legends em âmbito internacional.

Esse é um artigo que visa esgotar todo o tema de como o cenário brasileiro de League of Legends sempre consegue a façanha de fracassar internacionalmente e o porquê desse fato ocorrer anualmente. Tal tema pôde ser visto hoje pela manhã (01/10) às 5hrs, onde a KaBuM! teve seu primeiro desafio no Worlds 2018, a norte-americana Cloud 9 e logo após enfrentaram os japoneses da Detonation FocusMe.

A equipe brasileira perdeu os dois jogos de hoje, e de acordo com os analistas do Worlds foi vista uma desatenção e uma precipitação nas duas derrotas. De acordo com a psicologia analítica, há uma grande relação entre desatenção e indiferença, que ainda comporta uma acomodação. O questionamento é: será que tais pontos sempre perpetuam nos times brasileiros em todos os campeonatos internacionais? A resposta é sim, mas esses pontos não são os únicos a atrapalhar, a comunidade brasileira de League of Legends, ou seja, os fãs em geral, costumam dizer que os “proplayers”, em sua maioria, são extremamente arrogantes e despretensiosos quanto ao resultado. Inclusive quando o Brasil enfrenta os países latino-americanos no Rift Rivals, a arrogância é nítida, comentários sem sentido afim de apenas criar um “hype” desnecessário acaba soando como humilhação.

42910633_2491428074217414_5696425544275460096_n.jpg
Fonte: Twitter

Comentários como esse do jogador Filipe “Ranger” Brombilla exaltam a tal arrogância despretensiosa do cenário brasileiro, resume bem como esse cenário é acomodado com uma simples repercussão nacional. No comentário do jogador, a equipe dele, KaBuM! havia acabado de ser derrotada pelos japoneses da Detonation FocusMe, que são considerados o 2º pior time do Worlds pelos analistas do mundo todo, atrás apenas da KLG. Pode-se ver que após a derrota, ele traz à tona o pensamento “…o melhor jungler…” está aí a repercussão nacional, é isso que os interessa, já está bom para eles apenas o Brasil.

Há jogadores ainda que “não ligam muito pra você nem para o país”, mas é claro que salvo as exceções sempre há aqueles que não se acomodam com a derrota e que inclusive demonstram internacionalmente que o nosso cenário tem potencial, salvo a paiN Gaming em 2015, com a line-up de Mylon, SirT, Kami, brTT e Dioud, que conseguiu duas vitórias na fase de grupos e quase uma terceira vitória em cima da Flash Wolves, que a levaria para os playoffs pela primeira vez na história do competitivo brasileiro.

painleagueoflegendsmundial.jpg
Fonte: G1

Muitas já foram as desculpas que a comunidade de League of Legends enfrentou durante essas jornadas, dentre elas: falta de estrutura, falta de psicólogos, modificação da md2 para md3, sistema de escalada, falta de tempo para treinar, entre muitos outros pontos. A verdade é que ninguém mais aguenta ver o Brasil fracassar no LoL em âmbito internacional. O cenário de Dota 2 não tem 50% da visibilidade que o de League of Legends possui, e já trouxe resultados que orgulham toda a comunidade de Dota. Isso para não falar do competitivo de CS:GO, que por um ano o time brasileiro da SK Gaming foi o melhor do mundo, e por dois anos temos o melhor jogador do mundo, Marcelo “Coldzera” Augusto.

O fato é que os torcedores do LoL Brasileiro já cansaram de tanto fracasso e tanta desculpa, o que veremos pela frente: uma nova desculpa (possivelmente a de que o nosso cenário não consegue treinar frequentemente contra os melhores times) ou uma volta por cima da KaBuM! amanhã e que mostrarão que somos capazes de nos classificar e irmos a fase de grupos do Worlds?



Curta a página da Paradoxal News no Facebook: Paradoxal News


Inscreva-se para receber nossa newsletter e fique por dentro de tudo que rola no universo gamer.



2 comentários

  1. Concordo com quase tudo que tu falou meu amigo , mas na minha opinião ha 2 grandes problemas principais : Falta de experiencia e Cegueira da Riot BR. Antes de tudo , vamos a primeira causa , o Brasil sofre com a falta de grandes jogadores experientes , sendo que eles comprovadamente elevam o nível de uma região , só olhar a Turquia e a China. O segundo é que o Riot BR acha que o problema é o rage dos jogadores , fazendo eventos ridículos de fair play , quando na verdade o problema é muito mais grave que isso , a falta de incentivo , metas a se bater e valorização excessiva de soloqueue prejudicam todo o cenário como um todo. Sem mais delongas , minha visão é essa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.