ESPORTS NEWS NINTENDO

Entrevista com P7 – Jogador profissional de Smash

Essa semana tivemos a oportunidade de entrevistar o Paulo “Player 7” Janini, jogador profissional da organização ELZ1 eSports. Somente esse ano, o P7 já venceu os 16 campeonatos disputados. Veja abaixo a entrevista:

Quando você começou a jogar Smash?

Desde criança, desde o 64 com meu irmão, depois jogava o Super Smash Bros Melee no Gamecube com meus amigos do ensino fundamental. E aí lançou o Wii e comecei a jogar o Brawl, tudo isso casualmente. Até que 2008 eu em um Anime Friends em São Paulo, e lá eu vi que tinha campeonato e aí eu joguei meu primeiro campeonato em 2008. Então fazem mais de dez anos que estou jogando.

O que foi o pontapé inicial para você se profissionalizar?

Eu sempre gostei de competir, por exemplo quando eu era pequeno eu adorava esportes, então eu fiz judô quando eu era bem novo, eu era federado em Judô. Depois eu passei a jogar muito futebol e eu participava de campeonato de futebol que tinha lá no bairro. Depois eu passei a jogar jogos de cartas. Joguei Yu-Gi-Oh TCG e aí que migrei depois para o Smash

Qual foi a reação da sua família e amigos quando você decidiu se tornar profissional em Smash?

Então, quando eu tinha 13 ou 14 anos, quando eu jogava Pokémon TCG eu fui vice-campeão brasileiro. E aí nisso eu ganhei mil dólares de prêmio, então minha mãe viu eu ganhando meu dinheiro. O dinheiro foi para conta dela e ela administrou o dinheiro e ela me deu uma parte, isso já logo de cara já mostrou para ela que não é só um hobby ou um jogo. De forma geral minha mãe nunca foi cabeça fechada para nada, então ela viu, sempre apoiou e gostou. E agora que eu estou sendo patrocinado pela ELZ1 é que tá profissional mesmo.

O que você acha do cenário competitivo de Smash no Brasil? E lá fora?

O Smash competitivo no Brasil depende do referencial, se você for pegar a América do Sul o Brasil é o que tem mais pessoas competindo e mais torneios, eu acho que Brasil e Chile disputam os dois melhores da América do Sul. E pegando esse referencial é um cenário muito bom, tem cenas fortes em todo o Rio de Janeiro, no Nordeste, no Norte, São Paulo, Paraná e na Bahia. São todos locais muito fortes, mas infelizmente o fator distância é um problema, pelo fato de não estar muito concentrado não é só o pessoal do sudeste que domina, o pessoal do norte e nordeste é muito bom também, mas pelo fato do Brasil ser muito grande é difícil a galera competir presencialmente toda a hora, mas rola uns majors, eu vou para salvador e pro Rio competir em julho. E daí o pessoal vai viajar e competir lá e aí sim vai reunir bastante gente lá,,.

Agora se você for pegar a nível internacional, é bem atrás pois querendo ou não é uma competição desleal. É muito diferente por exemplo jogar Smash nos Estados Unidos e jogar aqui, lá o cenário é muito aquecido e além de tudo o Switch é muito mais acessível lá. Para você ter uma ideia o maior campeonato nos Estados Unidos reuniu mais de 12 mil pessoas, o Gênesis 6. E o maior torneio no Brasil deu mais de 100 pessoas

O que você acha sobre o balanceamento do jogo?

Esse smash foi uma surpresa porque ele é incrivelmente balanceado, sempre foi uma característica básica do smash ser um jogo desbalanceado, então desde o Smash do 64 até o Smash bros Melee ou Brawl, sempre tem os top tiers muito claro. Os melhores personagems do jogo sempre são muito discrepantes e se você olhar em resultados de torneio repetia muito os melhores personagens. No Smash 4 começou a ter patch, então isso foi um fator muito relevante, a Nintendo nunca foi muito boa em fazer patch, já que eles não usam muitos critérios. Os balanceamentos sempre foram meio esquisitos e não resolviam necessariamente o problema, que era ter personagens muito ruins ou personagens muito bons, mas já era alguma coisa.

E nesse novo o jogo está absurdamente equilibrado, a Nintendo realmente acertou a mão, os jogadores profissionais no Japão fazem parte da equipe para ajudar nos balanceamentos, então isso fez com que o jogo ficasse muito balanceado agora. Esse fim de semana um personagem que é considerado por muitos low tier ele ganhou um campeonato nos Estados Unidos com mais de 300 pessoas e se você olhar as primeiras colocações, é uma diversidade de personagens muito grande.

Quais mudanças que vieram no novo jogo que você mais gostou?

Eles deixaram o jogo defensivo pior, então se você quer usar o shield ou ficar se esquivando, você tem muito mais lag o que facilita você ser punido por isso, então isso reforça um pouco que as pessoas não fiquem tanto em posições defensiva. Os golpes estão com muito menos lag em geral, isso possibilita que o jogo tenha muito mais combos em ataques, ao contrário dos outros que você dava um golpe e você não conseguia linkar em mais nada porque você caia no chão e tinha lag.
Em contrapartida isso deixo o jogo muito mais safe, então as vezes nada laga e é difícil você tentar punir seu adversário, mas tem outras mecânicas, por exemplo o parry que é uma mecânica que gostei muito nesse jogo, que basicamente você tá segurando o escudo e se você solta bem quando seu inimigo bate em você, você tem uma janela de 5 frames para sustar o seu shield, ele faz uma animação e você consegue sair do seu shield sem lag e bater no cara. Essa é uma mecânica bem legal de fazer e não é qualquer um que consegue fazer.

Teve também o dodge no ar novo, que agora tem o dodge neutro e o dodge direcional, eu achei um pouco neutro, mas gostei por adicionar mais opções ao jogo, deixando ele mais diversificado.

 

Para finalizar, qual o seu personagem que sempre vai ter um lugar no seu coração?

Essa é uma pergunta complicada… Eu nunca tive um personagem que eu tive um carisma assim, e aí tem vários personagens que eu gosto. Se tiver um personagem para eu escolher que eu não jogo, mas que eu adoro é o Wario. Então se tiver um Mario Party eu jogo com ele, gosto muito dos jogos do Wario, gosto muito do personagem em si.

Eu nunca usei ele competitivamente por não gostar da gameplay dele, ele é um dos top 10 desse jogo, mas nunca consegui me adaptar à gameplay dele e por isso não colou.



Quer desenvolver o hábito da leitura mas não quer largar os games? Trouxemos um vídeo que fala dos 7 livros de jogos que você pode começar a ler e ainda entender um pouco mais sobre o seu universo favorito!





Inscreva-se para receber nossa newsletter e fique por dentro de tudo que rola no universo gamer.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.