ESPORTS NEWS RAINBOW 6: SIEGE

Rainbow Six – Abra pixels de qualidade com Buck

Como utilizar o Buck aproveitando ao máximo seu gadget principal

Sebastien “Buck” Côté é um dos operadores mais antigos do R6 e mesmo com tantos anos desde o seu lançamento o canadense da JTF2 ainda é um dos mais úteis do Siege. Possuindo uma habilidade essencial para o ataque, Buck é um dos queridinhos dos entry fraggers por possuir um loadout qualificado para toda missão. 

Para ajudar vocês a melhor o uso com o Buck no Rainbow Six, a Paradoxal News está trazendo hoje um guia completo do agente. Preparados? 

+ Rainbow Six – Novidades que chegam com a Neon Dawn

Os equipamentos de Buck 

Um dos principais motivos pelo quais Buck é um dos mais escolhidos do game são as armas que ele tem à disposição. Como escolhas primárias, o jogador pode optar pela C8-SFW ou CAMRS. O rifle de assalto está entre os maiores picks, no entanto ela possui ressalvas. Seu dano de 40 e sua taxa de disparos de 837 fazem dela uma arma poderosa, mas seu recuo difícil afasta muitos novatos.

Utilizar itens que diminuam o recuo da C8-SFW podem ser a melhor pedida para ajudar no controle | Fonte: Rainbow Six (Data: 10/12/2020)

A CAMRS é uma boa opção como rifle atirador de elite, porém o gadget principal de Buck muitas vezes pede uma arma de maior aproximação. A C8 é a opção mais viável na maior parte das situações, pois faz do personagem uma escolha bastante agressiva. A dica é treinar bastante com o rifle no Campo de Treinamento, pois se você domina este recuo pode dominar qualquer arma do Siege. 

Já para gadget secundário, Claymore e Granadas Atordoantes são as opções. A armadilha é uma escolha para quem quer fazer jogadas mais solitárias, garantindo um controle de rotação maior quando se está em andares superiores e/ou inferiores. Enquanto isso, a flash serve para confrontos mais agressivos e team plays mais robustas. Finalizando, Buck conta com MK1 9MM como pistola na secundária.

Quando escolher o Buck no R6? 

A escolha do Buck no R6 envolve a seguinte questão: “é válido usar a Skeleton Key para a situação que irei enfrentar?”. O gadget principal do operador canadense é uma shotgun acoplada em sua arma principal, esta que é capaz de fazer buracos em ambientes quebráveis. Uma opção muito semelhante ao que Sledge oferece, mas com uma variação tática diferente.

Mapas como Chalé, Fronteira e Litoral são alguns dos quais o uso de um soft breacher como Buck se torna essencial. A quantidade de teto “varável” nesses mapas é o ambiente perfeito para que o canadense abra pixels estratégicos, estes que forçam a movimentação desorganizada da defesa. No entanto, é em ambientes como Clube que o agente realmente brilha. 

Do segundo andar do Clube é possível marcar pontos do subsolo com a Chave Mestra | Fonte: Rainbow Six (Data: 10/12/2020)

Há partes de mapas mais verticais em que o Buck pode abrir pixels bastante agressivos, mas de posições seguras. Assim como na imagem acima, essas linhas de visão são boas no início dos rounds e podem fazer com que o adversário seja surpreendido. Mas, pode fazer também com que a defesa gaste uma C4 na esperança de pegar você. Com a posição segura o importante explosivo não funcionará e isso acaba sendo decisivo em momentos de plant.

Impulsionando o uso do operador 

Buck é um agente de alta qualidade, mas por que escolher ele ao invés do Sledge? O britânico possui Granadas de Fragmentação e isso fez com que ele seja mais utilizado nas ranqueadas de alto nível. Mas, e o canadense? Quais são as suas vantagens?

Além de abrir um pixel mais seguro e até mais rápido (pode fazer seis buracos em poucos segundos), ele possibilita jogadas verticais de baixo para cima. Isso é o que difere o operador do Sledge, que não pode martelar o telo para abrir buracos. O adversário muitas vezes espera um ataque vindo de cima, mas não é todo dia que o que vem de baixo pode lhe atingir. 

Quebrar o chão onde os defensores podem ficar pode lhe dar vantagem de posicionamento | Fonte: Rainbow Six (10/12/2020)

Com uma team play afiada ou mesmo um duo que traga em seu loadout uma granada de fragmentação, os ataques podem ficar interessantes. Você pode abrir espaços com seu Buck para deixar seus aliados fazerem o trabalho. Enquanto isso pode fazer uma jogada mais agressiva em uma trocação, já que o rifle de assalto é muito eficiente. 

Mapas como Fronteira e Villa (Mansão) são bons exemplos dessa abertura para aliados, principalmente em bombs como do Arsenal e Sala da Aviação respectivamente. Como a comunicação no Siege é essencial, as jogadas em dupla surtem um efeito ainda maior nas possibilidades de vitória – mesmo quando o cenário parece adverso. 

Resumindo, Buck é um agente bastante agressivo e que pode trazer muitas possibilidades. Quando se trata de criar linhas de visão ele é um dos melhores, assim como também é perfeito para trocações devido ao seu arsenal. Basta treinar sua arma e as possibilidades de pixels com a Chave Mestra que ele poderá lhe abrir muitas portas para as vitórias. 

Leia mais: 

Rainbow Six – Quais os primeiros operadores que deve comprar?

+ Rainbow Six – Primeiras impressões do rework do Tachanka



Quer desenvolver o hábito da leitura mas não quer largar os games? Trouxemos um vídeo que fala dos 7 livros de jogos que você pode começar a ler e ainda entender um pouco mais sobre o seu universo favorito!





Inscreva-se para receber nossa newsletter e fique por dentro de tudo que rola no universo gamer.



%d blogueiros gostam disto: