ESPORTS NEWS

Confira nosso Top 20 dos melhores jogos do Super Nintendo | Parte 1

Muitos provavelmente não sabem, mas o dia 21 de Novembro de 1990 está marcado para sempre na história da comunidade gamer. O motivo? Bom, foi exatamente nesta data em que o mundo conheceu o extraordinário console conhecido por aqui como Super Nintendo.

Com quase 50 milhões de unidades vendidas, o aparelho da gigante japonesa Nintendo se tornou um verdadeiro fenômeno mundial, protagonizando uma das maiores “Guerra de Consoles” da história contra o igualmente saudoso Sega Genesis (ou Mega-Drive para o público brasileiro).

E para lembrar com muito carinho e nostalgia da era de ouro dos 16 bits, separamos uma lista com os 20 melhores jogos lançados para o Super Nintendo, levando em conta, além da qualidade técnica, é claro, o que cada um desses jogos representou para o público brasileiro nos anos 90.

Então entre na nossa máquina do tempo e aproveite a parte 1 do nosso Top 20 com os melhores jogos já lançados para o Super Nintendo!

Chrono Trigger
– Square Enix

Não teria como começar uma lista dos melhores jogos do Super Nintendo sem citar o magnífico Chrono Trigger, título que até hoje é considerado por muita gente como o melhor jogo de RPG já produzido na história. E o sucesso que transcende a barreira do tempo não é por acaso: a super complexa trama do game e seus icônicos personagens foram criados pela tríade de gênios Hironobu Sakaguchi, de Final Fantasy, Yuki Hori, de Dragon Quest e Akira Toriyama, de Dragon Ball.

Numa época em que a grande maioria dos jogos eram extremamente simples e podiam ser finalizados em uma só jogatina, Chrono Trigger levou o gênero a outro patamar oferecendo até 20 horas de jogo para alcançar um de seus 13 diferentes finais. Simplesmente revolucionário!

Super Mario World
– Nintendo


Após o sucesso avassalador de Super Mario Bros. 3, conhecido como a grande obra-prima do Nintendinho de 8 bits, todos acreditavam que o mascote encanador jamais viveria uma aventura tão impressionante. Mas bastou o console de 16 bits da Nintendo ser lançado para que todos vissem que a franquia Mario sempre teria espaço para se superar.

Com um belo visual, novos power-ups e uma trilha sonora inesquecível, Super Mario World marcou toda uma geração e se tornou referência para o gênero. E vale lembrar também que o título foi responsável por apresentar ao mundo o queridíssimo Yoshi, que veio a se tornar um dos personagens mais icônicos e marca registrada da Nintendo.

Super Mario Kart
– Nintendo

Com o lançamento de Super Mario World, os personagens da franquia do mascote bigodudo acabaram ganhando cada vez mais espaço na mídia e recebiam suas próprias linhas de produtos e brinquedos. Então a Nintendo decidiu explorá-los ainda mais, levando Mario, Luigi, Peach, Yoshi, Toad e Bowser à um gênero totalmente diferente, saindo das plataformas e mergulhando na velocidade das corridas.

Assim nasceu Super Mario Kart, mais um título que marcou época e se tornou uma verdadeira febre mundial, considerado como jogo obrigatório na prateleira de todos os donos de um Super Nintendo. E que atire a primeira pedra quem nunca sentiu vontade de jogar o controle pela janela após receber um “casco” certeiro e perder a liderança na reta final de uma corrida. Chega a dar gatilho, viu?

Super Metroid
– Nintendo

Se você é grande fã do gênero de ação/plataforma e tem franquias como Mega Man e Castlevania entre suas favoritas, então você devia agradecer todos os dias pela existência de Metroid. Mas apesar do título de 1986 representar um marco na história dos videogames, dá pra dizer que foi apenas em 1994, com a chegada de Super Metroid, que o “padrão” para o gênero foi estabelecido por completo.

Apresentando uma variedade de armas que podiam ser usadas em determinadas situações e upgrades para a armadura da personagem, Super Metroid serviu de clara inspiração para tudo o que veio depois. E se você acha que Lara Croft foi a primeira personagem feminina a protagonizar uma grande franquia de jogos, está muito enganado. Samus Aran já vaga pelo universo exterminando monstros há pelo menos 35 anos.

Donkey Kong Country 2: Diddy’s Kong Quest
– Nintendo

Maior, melhor e muito mais bonito, Donkey Kong 2: Diddy’s Kong Quest levou a experiência de correr, saltar, pegar bananas e atirar barris a outro patamar em 1995. Além das claras melhorias técnicas, o segundo título da franquia introduziu a utilização de outros animais no decorrer da trama, que surgiam para ajudar os protagonistas em determinadas situações.

E por falar em trama, desta vez o próprio Donkey Kong foi capturado por criaturas conhecidas como Kremlings e cabe ao seu companheiro Diddy, além da novata Dixie, passarem por inúmeras fases derrotando chefões para salvar o dono da franquia. Donkey Kong 3 ainda apareceu no SNES, porém, o fato de sua chegada ter ocorrido dois meses após o lançamento oficial do Nintendo 64, com uma nova geração de consoles já em curso, fez com que essa pérola não ficasse tão marcada quanto seu antecessor.

Final Fantasy VI
– Square Enix

Se houvesse uma pesquisa para saber qual a franquia mais consagrada da história dos videogames, seria quase impossível alguém tirar esse título de Final Fantasy. E ainda na saudosa era dos 16 bits, a Square Enix fez sua grandiosa máquina de sucesso (e dinheiro) chegar ao sexto capítulo, alcançando o seu auge até então.

Com sistema de customização de itens, batalhas extremamente balanceadas e uma gama enorme de personagens memoráveis, além de uma trama bem elaborada e envolvente, Final Fantasy VI só não fica no topo do pódio dos RPGs de sua era devido ao aclamadíssimo Chrono Trigger. Mas ainda assim não deixa de ser um título obrigatório para todo fã de um bom RPG.

Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles in Time
– Konami

Uma das características mais marcantes da era dos 16 bits era o grande apelo para a jogatina em modo cooperativo local, já que nessa época títulos como Cadillac & Dinosaurs, Double Dragon e The Simpsons bombavam de uma maneira absurda e chegavam a formar filas nas casas de fliperama.

E tentando levar essa mesma sensação aos jogadores de sofá, a Konami lançou simultaneamente Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles in Time para Super Nintendo e Arcade. Nem é preciso dizer que o jogo alcançou um sucesso gigantesco na época, sendo título obrigatório na casa de toda dupla de irmãos gamers.

Ultimate Mortal Kombat 3
– Midway/Williams

Em meados da década de 90, os fliperamas viviam seu período áureo aqui no Brasil. E se os jogos com temática cooperativa faziam muito sucesso, o mesmo podia ser dito sobre os games de luta, que a esta altura já eram tão consagrados nos consoles quanto eram nos Arcades. E talvez nenhum outro título do gênero tenha exigido tanto dos aparelhos caseiros da época quanto Ultimate Mortal Kombat 3.

Com gráficos impressionantes e personagens que se moviam de maneira realista, graças a um ótimo sistema de captura de movimentos, o game chamava a atenção de quem assistia e ainda chocava com seus violentíssimos “Fatalities”, marca registrada da franquia. Isso sem falar do balanceamento e adição de novos personagens, que fizeram essa versão de Mortal Kombat 3 melhorar o que parecia impossível de ficar ainda melhor.

Sunset Riders
– Konami

Em 1991, uma nova febre chegava aos Arcades do mundo inteiro, levando aos jogadores toda a adrenalina e elementos do faroeste norte-americano com o lançamento de Sunset Riders. E claro que mais uma vez a japonesa Konami não perdeu tempo e tratou de levar sua mina de ouro aos consoles da época.

Além de ser um jogo incrível, Sunset Riders ficou famoso também devido ao seu elevado nível de dificuldade, já que bastava ser atingido apenas uma vez durante o tiroteio desenfreado para perder uma preciosa vida. Inclusive não é incomum ouvir gamers experientes daquela época afirmando que jamais finalizaram este game, mesmo possuindo o cartucho por vários anos.

Top Gear 2
– Kemco

É claro que na era de ouro dos anos 90, os gamers não viviam apenas de saltos entre plataformas, pancadarias de rua e tiroteios no velho oeste. Os amantes da velocidade também tinham vez no joystick e um dos representes mais emblemáticos dos games de corrida na época foi Top Gear 2.

É bem verdade que em termos gráficos, o segundo game da franquia não ficava muito à frente de seu antecessor, dando a impressão de se tratar de um título do Nintendinho de 8 bits. Mas sua sensação de alta velocidade, seleção de pistas ao redor do mundo, mudanças climáticas e até mesmo a introdução de um sistema de customização dos veículos fizeram com que Top Gear 2 ficasse marcado para sempre na história dos videogames.


E aí, sentiu falta de algum grande título? Caso positivo, não se desespere! Essa foi apenas a parte 1 do nosso top 20 de melhores jogos do Super Nintendo. Semana que vem já teremos a segunda parte chegando com tudo por aqui, trazendo mais alguns dos jogos que marcaram época e a infância de muita gente. Até lá!

%d blogueiros gostam disto: