ESPORTS NEWS

Especial: As 10 personagens femininas mais icônicas da história dos videogames

O ano de 2021 segue passando tão rápido que mal podemos ver seus movimentos. Tanto, que em poucos dias já estaremos chegando à uma das mais expressivas datas comemorativas anuais: o dia internacional da mulher, celebrado sempre dia 8 de Março.

E apesar da data ter sido tomada por um grande apelo comercial, o que infelizmente não chega a ser uma novidade, o dia internacional da mulher está longe de ser uma data festiva. Na verdade, esta data serve para lembrar toda a história de lutas por respeito e direitos da classe feminina, construída através de muitos sacrifícios.

Para honrar essa trajetória de batalhas à nossa maneira, montamos uma lista com as 10 personagens femininas mais icônicas da história dos videogames. E esperamos que suas histórias de bravura ajudem a inspirar cada vez mais mulheres ao redor do mundo em suas intermináveis batalhas por mais respeito e igualdade.  

Bayonetta
– Bayonetta

Bayonetta ganha Nendoroid mais do que adorável
Fonte da imagem: IGN Brasil

Apesar de hyper-sexualizada, é inegável que Bayonetta, personagem que dá nome à sua própria série de jogos, é uma das mulheres mais marcantes e icônicas da história dos games. Afinal, não é todo dia que vemos uma bruxa super poderosa que carrega pistolas em seus saltos altíssimos distribuindo tiros e porrada por aí, literalmente pisando em seus inimigos.

E pouca gente sabe, mas Bayonetta é na verdade um codinome pelo qual a protagonista da franquia é conhecida. Seu nome de nascença é Cereza e ela é fruto de um romance proibido entre membros de dois antigos clãs de feiticeiros. Porém, o fato dela ser mais poderosa do que qualquer um, o que pelas leis sagradas a colocaria numa posição de comando, fez com que uma verdadeira guerra tivesse início, culminando na extinção de todas as bruxas do clã Umbra, com exceção de Bayonetta e sua amiga/rival Jeanne. Caçada pela eternidade, o simples fato de se manter viva já é sinônimo de batalha para essa bruxa-guerreira.

Clementine
– The Walking Dead

The Walking Dead: Final Season - The Walking Dead: A Temporada Final -  Passe de Temporada
Fonte da imagem: Epic Games

Quando Clementine surge pela primeira vez nos jogos da franquia The Walking Dead, da Telltale, ela é apenas uma garotinha doce e solitária tentando superar suas perdas e continuar viva em meio a um terrível apocalipse zumbi. E se não fosse pelo ex-condenado Lee Everett, que a protege e a acolhe como uma filha durante o primeiro capítulo da história, é muito provável que a menina não tivesse sobrevivido por muito tempo.

Porém, graças aos ensinamentos de Lee e seu amadurecimento forçado em um mundo repleto de monstros, vivos e mortos, Clementine se torna uma mulher extremamente astuta e independente, capaz de enfrentar de frente qualquer tipo de obstáculo que se coloque em seu caminho, e passando a representar um perigo muito maior para os mortos-vivos do que o contrário. Além de tudo isso, Clementine merece uma atenção toda especial por ser a única personagem negra a figurar em nossa lista, mostrando que as grandes empresas da indústria precisam olhar com mais carinho para a questão da representatividade.

Lightning
– Final Fantasy

Como Lightning Returns me fez entender a minha depressão - MinasNerds
Fonte da imagem: Minas Nerds

Quem é fã de carteirinha da franquia Final Fantasy, a esta altura deve estar se perguntando o motivo de Lightning aparecer nessa lista. Primeiro, porque Final Fantasy XIII, título que apresenta a nossa grande guerreira, não é exatamente conhecido por ser um dos melhores jogos da série (embora esteja muito longe de figurar entre os piores também). E segundo, porque outras personagens femininas da franquia, como Yuna (FF X) e Tifa (FF VII), contam com muito mais carinho por parte do público geral se comparadas à nossa escolhida.

Mas o motivo de Lightning estar aqui é muito simples: ela é primeira mulher a protagonizar um capítulo de Final Fantasy. E se levarmos em conta que a magnífica série de RPG existe desde 1987, podemos afirmar que a Square Enix levou pouco mais de 20 anos para fazer isso acontecer em 2009. Porém, isso não é tudo. Para quem não sabe, Lightning pode ser considerada como um dos personagens mais poderosos de toda a franquia. Tanto, que mesmo após o fim de sua trajetória, ela é revivida 500 anos depois por uma divindade que acredita que a falecida guerreira é a única capaz ser a grande salvadora da humanidade e evitar um eminente apocalipse. Tá bom pra você?

Ellie
– The Last of Us

The Last of Us Part II Interview with Neil Druckmann & Halley Gross |  IndieWire
Fonte da imagem: Naughty Dog

Desde o lançamento do aclamadíssimo The Last of Us Part II, incluir Ellie em qualquer lista online de bons personagens se tornou quase que uma afronta na visão da galera mais conservadora. O motivo é que até hoje esse grupo não consegue superar algumas decisões tomadas pela menina no decorrer da trama, além de não ver com bons olhos o fato da série ter passado a contar com uma protagonista homossexual. Inclusive, Ellie é a única personagem abertamente gay da nossa lista.

De todo modo, o fato é que para desespero dessa galera, a trajetória de Ellie acabou se consagrando como a mais premiada da história dos videogames, superando as expressivas marcas de The Witcher 3: The Wild Hunt, que pareciam inalcançáveis até então. E é claro que a protagonista do título que acumulou estatuetas em 2020 não poderia ficar de fora da nossa lista, não apenas por ter feito história fora das telas, mas também por nos presentear com uma grandiosa trama sobre vingança e perdão dentro delas. Ah, vale mencionar que uma série televisiva baseada na franquia já está em produção pela HBO, e Ellie será interpretada pela atriz Bella Ramsey, famosa por dar vida à personagem Lyanna Mormont, de Game of Thrones. O hype já está a mil!

Jill Valentine
– Resident Evil

Novo trailer de Resident Evil 3 Remake é focado em Jill Valentine
Fonte da imagem: Gamer Point

Não é novidade pra ninguém que Resident Evil se tornou uma das mais icônicas franquias do universo gamer, superando o limite dos videogames e invadindo outras frentes como filmes, livros, jogos de tabuleiro e até mesmo uma série live-action que já está em produção pelas mãos da Netflix. E se há uma personagem que se tornou o “rosto” oficial da franquia de zumbis da Capcom, esta alguém com certeza é Jill Valentine.

Além de protagonizar o terceiro capítulo da série, considerado por grande parte dos fãs como o melhor já produzido até hoje, Jill merece todo o nosso respeito por ter sido a responsável por eliminar o aterrorizante e implacável monstro Nemesis, um dos principais antagonistas de Resident Evil. E dá pra dizer que as habilidades de combate da operadora da S.T.A.R.S. foram reconhecidas com louvor quando a heroína foi inserida na famosa franquia de luta Marvel vs. Capcom, batendo de frente com personagens de Street Fighter, Vingadores e X-Men. Vai encarar?

Princesa Zelda
– The Legend of Zelda

49+] Zelda Hyrule Warriors Wallpaper on WallpaperSafari
Fonte da imagem: Wallpapersafari

Não dá pra negar que ao pensar em The Legend of Zelda, a primeira imagem que vem à cabeça é a do grande herói e guerreiro Link. Mas também é inegável o fato de que quem carrega o nome da franquia na costas é a magnífica princesa Zelda, a dona de tudo. E se você somente acompanha as aventuras de Link à distância e pensa que Zelda é apenas uma frágil donzela em perigo que precisa sempre de ajuda, está mais do que enganado(a).

Zelda é extremamente inteligente e calculista, sempre acompanhando de perto tudo o que acontece em seu grande reino, e intervindo cirurgicamente quando necessário. Inclusive, durante os eventos de Ocarina of Time, quando Link desaparece misteriosamente por cinco longos anos, a princesa não pensa duas vezes antes pôr as mãos na massa e assume o papel da misteriosa guerreira Sheik para proteger seu reino no campo de batalha. As habilidades de combate de Zelda podem ser conferidas também no aclamado crossover Super Smash Bros.!

Samus Aran
– Metroid

Samus-Aran-Metroid - Cinesia Geek
Fonte da imagem: Cinesia Geek

Em novembro de 1986, a indústria dos games começava a dar seus primeiros passos e a Nintendo lutava para transformar seu console de 8 bits (NES) em referência para jogatina caseira, numa época em que os Arcades eram febre nos Estados Unidos e Japão. E se a “Big N” obteve êxito em sua missão, muito se deve ao revolucionário título de ação e plataforma conhecido como Metroid.

Mas o que muita gente não imaginava na época é que Metroid fazia muito mais do que “simplesmente” estabelecer um padrão para os jogos do seu gênero. Isso porque, naquele momento nascia também o que pode ser considerada como a primeira grande franquia do universo gamer a ser protagonizada por uma mulher, cujo o nome é Samus Aran. Para quem não sabe, Samus é uma caçadora de recompensas espacial extremamente talentosa, tendo iniciado sua carreira ainda aos 14 anos de idade. Suas habilidades são tão extraordinárias, que a Federação Galáctica, uma espécie de polícia espacial, recorre à ela para executar missões que nem mesmo seus agentes mais experientes são capazes de concluir. Inclusive, um dos maiores vilões da série é exatamente um clone da própria Samus.

Chun-Li
– Street Fighter

Artista cria um novo visual para Chun-Li de Street Fighter
Fonte da imagem: Legião dos Heróis

No início dos anos 90, uma verdadeira febre invadia os Arcades do mundo inteiro e fazia a cabeça da molecada gamer: os chamados jogos de luta. E um dos principais responsáveis por essa epidemia global foi Super Street Fighter II, título da Capcom que marcou uma geração e serviu de base para tudo o que viria depois. Com 12 personagens jogáveis, número considerado alto para a época, o game contava com 11 homens e apenas uma mulher em seu elenco: nossa amada Chun-Li.

E exatamente por ser uma lutadora feminina de destaque numa época em que 99,9% dos personagens virtuais eram homens, além do público alvo dos games ser majoritariamente masculino, Chun-Li virou uma referência e figura quase que solitária no papel de representação da mulher no mundo gamer. Mas como nem tudo são flores, a artista marcial chinesa foi durante muito tempo apresentada com um apelo sexual exagerado, usando roupas curtas que deixavam boa parte de seu corpo exposto. Felizmente, isso mudou com o passar do tempo e até mesmo outras franquias de jogos de luta, como Mortal Kombat, por exemplo, passaram a deixar suas personagens menos “exageradas” e vestindo roupas mais adequadas para uma briga de rua.

Princesa Peach
– Super Mario Bros.

This Is Where Princess Peach Got Her Name
Fonte da imagem: Nintendo

Quando Super Mario Bros. 2 foi lançado para o Nintendinho lá em 1988, foi uma grande surpresa para todos encontrar a Princesa Peach como personagem jogável logo na tela inicial do game. Antes vista apenas como uma donzela dondoca criada para ser sempre salva pelo grande herói da franquia, não demorou muito para ficar provado que Peach tinha totais condições de fazer basicamente tudo o que Mario e Luigi faziam.

Mas se alguns céticos ainda tinham dúvidas sobre a capacidade da princesa do Reino dos Cogumelos, elas com certeza foram por água abaixo após o lançamento de Super Princess Peach para o saudoso Nintendo DS. Neste título, Mario, Luigi e Toad são capturados por Bowser e cabe à Princesa Peach partir sozinha numa grande aventura para resgatar seus amigos.  O mais interessante é que Peach é a prova de que uma personagem feminina não precisa ter características consideradas masculinas, como possuir um corpo musculoso ou cabelo curto, para ser forte e poderosa. Mesmo de vestidinho rosa, luvas brancas, maquiagem feita e longos cabelos loiros impecáveis, Peach vai à luta e chuta a bunda do monstrengo Bowser e seus capangas sem dó.

Lara Croft
– Tomb Raider

Tomb Raider: conheça os melhores easter eggs da série de Lara Croft |  Listas | TechTudo
Fonte da imagem: TechTudo

Tomb Raider não foi a primeira franquia do universo gamer protagonizada por uma mulher. E Lara Croft não foi nem de perto a primeira personagem do sexo feminino a ser controlada pelos jogadores. Mas mesmo assim, não é exagero nenhum afirmar que a carismática arqueóloga é, de longe, a personagem feminina mais icônica da história dos videogames, sendo reconhecida até mesmo por muitos que sequer sabem distinguir um Playstation de um Xbox na sua frente.

O sucesso absoluto de Lara Croft talvez se deva a dois fatores principais. Primeiro, é claro, pelo fato da franquia Tomb Raider ter sido um verdadeiro fenômeno de mercado, aparecendo no livro dos recordes como a série de videogame protagonizada por uma mulher com o maior número de vendas da história. Apesar de haver outras franquias com ótimas personagens femininas no papel principal, nenhuma alcançou o sucesso financeiro de Tomb Raider. E além disso, o filme de 2001 baseado na série e protagonizado pela musa Angelina Jolie, levou o nome e a imagem de Lara Croft para outro patamar de fama, alcançando o status de personagem ícone da cultura pop.



Quer desenvolver o hábito da leitura mas não quer largar os games? Trouxemos um vídeo que fala dos 7 livros de jogos que você pode começar a ler e ainda entender um pouco mais sobre o seu universo favorito!





Inscreva-se para receber nossa newsletter e fique por dentro de tudo que rola no universo gamer.



%d blogueiros gostam disto: